Educação humanizada forma aluno mais consciente de seu papel na sociedade - BEĨ Educação
    Array
(
    [0] => :
    [1] => 
    [2] => beieducacao.com.br
    [3] => educacao-humanizada-forma-aluno-mais-consciente-de-seu-papel-na-sociedade
    [4] => 
)
  
Q

Educação humanizada forma aluno mais consciente de seu papel na sociedade

PUBLICADO EM October 25, 2021

Por estar em um ambiente mais acolhedor, o jovem consegue explorar suas particularidades e perde o medo de errar

A escola é o local onde crianças e jovens entram em contato com os conhecimentos necessários para uma formação acadêmica mais consistente. Mas as instituições de ensino também têm a função social de formar cidadãos autônomos, resilientes, conscientes dos seus direitos e deveres, empáticos e aptos para ajudar na construção de uma sociedade justa e tolerante. E uma das formas de fazer tudo isso é investindo na educação humanizada.

Esse tipo de metodologia traz impactos que vão muito além do ambiente escolar, ajudando o aluno a exercer a sua cidadania a partir da valorização das relações humanas. As particularidades de cada aluno são respeitadas, o que permite que ele se sinta mais acolhido e confortável nas aulas, impactando a sua confiança e o seu desempenho.

Além disso, por estar em um ambiente onde as pessoas se respeitam e se ajudam, ele se sente mais motivado, pois a pressão também é menor. Ir mal em uma apresentação ou ter dificuldade em algum tema não são sinônimos de fracasso ou motivo para sentir vergonha, mas oportunidades para aprender com os erros, entender o que pode ser melhorado e crescer.

E esse universo de confiança e colaboração também é composto pelo posicionamento dos professores e de toda a comunidade escolar, que fazem a intermediação do processo e criam as condições ideais para a educação humanizada se concretizar em bases sólidas.

O perfil do aluno que tem uma educação humanizada costuma ser mais altruísta, por entender a importância de ajudar outras pessoas; colaborativo, pelo incentivo constante ao trabalho em equipe; autoconfiante, porque ele consegue correr riscos e expressar suas ideias sem medo de ser julgado; autônomo, por assumir o protagonismo na busca de conhecimentos; e persistente, ao descobrir que falhar é natural e o importante é não desistir.

Assim, mais consciente de seu papel na sociedade e com habilidades socioemocionais mais desenvolvidas, o aluno também sai mais preparado para a vida adulta e os desafios que irá enfrentar no mercado de trabalho.

 

 

 

 

Compartilhe
Educador - QR CODEEstudante - QR CODE